segunda-feira, 31 de julho de 2017

Porque acompanhei o B.O, contra vereador de Carpina com meus colegas de imprensa? Nesta segunda o colega Carlos Peruca também se juntou a nós.

Na delegacia onde junto com meus colegas prestei queixa contra o citado vereador.

 Como todos sabem, tive um problema com o citado vereador e por motivo banal, uma crítica que fiz no face e no rádio, sem citar nomes, mas independente de citar nomes ou não, creio que qualquer pessoa sensata reconhece que não havia motivos para tudo aquilo. Coisas piores, mais pesadas o vereador disse no rádio. E quanto a mim, foram quatro anos de um programa de sucesso com a mesma conduta de sempre, críticas diversas e nunca fiz uma inimizade, quanto mais receber processo. Na época o mesmo já havia tido um problema com o radialista Francisco Jr. e ele processou o comunicador e perdeu a causa, gosto de frisar.

Mas voltando a mim, na época o mesmo tentou induzir minha saída do rádio o que não conseguiu, saí bem depois por causa da política. O máximo que aconteceu foi uma pedido de retratação da minha parte a qual não aceitei porque tenho consciência que não fiz nada demais, a direção acatou minha negativa. Não invadi a vida pessoal dele, não coloquei em cheque a moral de ninguém. Diferente do que temos visto em Carpina da parte de quem se considera intocável. O mesmo também não se agradou com minha presença em um filme o qual o mesmo também fazia parte o que lá sim terminou resultando na minha saída até por uma opção minha. Me senti constrangida, coagida e humilhada. Perdoar? Sim, perdoei e mesmo que não, continuaria com minha ética profissional o entrevistando quando achasse que é pertinente. Dou valor ao meu trabalho. Este ano já o entrevistei e fui recebida gentilmente em seu escritório por ele e sua advogada. O mesmo apertou minha mão e disse que este caso que vos relato era passado e que tinha sido política.

Pra ser mais franca ainda nem sempre ele está errado, muitas vezes ele tem argumentos os quais concordo devo admitir. Mas mesmo ele tendo afirmado que havia sido levantada uma bandeira branca entre eu e ele, hoje, não acredito. Não acredito porque não me dobro e disse a ele que quando sentisse a necessidade de criticá-lo assim o faria. E ele não encara bem essa parte.

Enfim, para ser franca quando ele fala de imprensa bandida, comprada, etc., não me sinto atingida, consciência limpa! Mas me solidarizo aos meus colegas, porque amanhã poderá ser diretamente comigo. E já senti o destempero na pele. Me solidarizo aos meus colegas que mesmo sem terem seus nomes citados já foram chamados de desqualificados, vagabundos e até pedófilos nas entre linhas. Me solidarizo aqueles que mesmo sem serem da imprensa,  já tiveram sua vida pessoal invadida tendo sua sexualidade questionada, tendo sido chamados de corno... Sim, este é o nível.

Me solidarizo, porque quando se diz imprensa, ou parte da imprensa que seja, sem citar nomes, todos nós nos sentimos ofendidos porque nos tornamos suspeitos.

Uma crítica precisa ser bem redigida, e o que acontece com o cidadão, não são críticas, e sim injúrias!

E você eleitor carpinense que ouve e lê tamanha baixaria e gosta, ri, se diverte e diz que está certo (graças a Deus já tem muita gente acordando), lamento, tenho pena! Como querer progresso se ainda estamos cercados de pessoas tão ignorantes politicamente que aplaudem esse tipo de atitude. Ah! E torço para que amanhã não seja ninguém de sua família a vítima.

O radialista Carlos Peruca não pôde estar presente conosco na quarta-feira da semana passada quando fomos prestar queixa, mas nesta segunda (31), se juntou a nós e esteve presente na delegacia formalizando sua queixa.

Porque não digo o nome dele? Cansada, estafada, de dar ibope a quem não merece.

Certo quem está fazendo é o prefeito Botafogo: Ouvido de mercador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário